Ortografia: «hétero»

Anda perto

 

     «Atacar o presidente do Instituto Português do Sangue por este 
ter afirmado no Parlamento que está definido como factor de exclusão para a dádiva de sangue “ser um homem que tem sexo com homens” não é lutar contra
 o preconceito — é um reflexo pavloviano que inverte direitos 
(o direito fundamental em causa não é dar sangue mas sim receber o sangue mais seguro possível), apouca questões científicas e saca da pistola só porque se está a falar de um tratamento diferenciado entre gays e heteros» («Sangue, gays e discriminação», João Miguel Tavares, Público, 5.05.2015, p. 48).

    Já vimos algures que esta redução vocabular se grafa com acento agudo, hétero. (E o nome da entidade é Instituto Português do Sangue e da Transplantação, IPST.)

 

[Texto 5820]

Helder Guégués às 11:21 | comentar | favorito
Etiquetas: ,