Ortografia: «Lua de mel/lua-de-mel»

Não fui eu

 

      «E deram início a uma longa e invulgar “lua-de-mel”, cuja conclusão é um retrato que ninguém gostaria de ter no álbum de recordações: existem perto de 270 mil toneladas, 5,25 biliões de peças individuais, a flutuar nos mares» («Uma gigantesca “sopa” feita com 270 mil toneladas de plástico», Pedro Sousa Tavares, Diário de Notícias, 12.12.2014, p. 24).

      Segundo as regras do Acordo Ortográfico de 1990, a grafia é «lua de mel». Isto só pode ter sido escorreganço do editor, porque nunca o jornalista daria este erro tão elementar.

 

[Texto 5363]

Helder Guégués às 20:47 | comentar | favorito | partilhar
Etiquetas: ,