Ortografia: «partenopeu»

Já temos, e melhor

 

      «No século XVII, em Nápoles, Giambattista Basile escolhe para as suas acrobacias de estilista barroco-dialectal os “cunti”, as histórias “de’ peccerille”, de pequeninos, e dá-nos um livro, o Pentameron restituído às nossas leituras pela versão de Benedetto Croce) [sic] que é como que o sonho de um disforme Shakespeare partenópeo, obcecado por um fascínio do horrível para o qual não há ogres nem bruxas que bastem, por um gosto da imaginação alambicada e grotesca em que o sublime se mistura com o vulgar e o obsceno» (Sobre o Conto de Fadas, Italo Calvino. Tradução de José Colaço Barreiros. Lisboa: Editorial Teorema, 2010, 2.ª ed., p. 15).

      É partenopeu — natural ou habitante de Nápoles. «Partenópeo» é uma tentativa de aportuguesar o italiano partenopeo. O que é desnecessário.

 

[Texto 4107]

Helder Guégués às 08:21 | favorito