Ortografia: «posta-restante»

E não é de peixe

 

      «A primeira carta para ela, de Genebra, não levou resposta. Ou não ma remeteram para a posta-restante de Estocolmo, como se deu com duas da minha mãe» (Os Anos da Guerra, 1961-1975, João de Melo (org.). Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1998, 2.ª ed., p. 93).

      Há muito que se vê assim escrito, nos dicionários e na literatura, mas não nos Correios. Posta restante é a correspondência que, por indicação do remetente, fica na estação de Correios à espera de ser reclamada pelo destinatário. Ora, esta correspondência fica numa secção especial da estação de Correios — também designada posta restante. Vai sendo uma realidade tão rara, que os falantes já não sabem como referir-se-lhe, como pude comprovar recentemente. Voltando à ortografia: se é substantivo (posta) + adjectivo (restante), não estou a ver para que é o hífen. Não entendem assim os lexicógrafos.

 

[Texto 6437]

 

Posta restante.JPG

Imagem daqui.

 

Helder Guégués às 08:55 | favorito
Etiquetas: ,