Ortografia: «quezilento»

Não liguem

 

     «Marcelo Rebelo de Sousa 
nunca foi um político de estilo conflituoso, e não havia de começar a sê-lo agora. Como a última década deixou evidente, a crispação “não faz pendant” com o fato de Presidente da República. Pelo contrário, é vista como uma nódoa. E como havia Marcelo
 de ser um chefe de Estado quesilento, quando não o foi
 nem quando liderou a oposição?» («A diferença patente», Álvaro Vieira, Público, 1.10.2016, p. 11).

      Podia ser, sim, mas não é, antes quezilento. Se vem de quezila... Termo curioso — sabiam que o étimo é um vocábulo do quimbundo? —, com a variante quezília, porventura a mais usada. Deslize imperdoável num jornalista, e sobretudo nos tempos que correm, com dicionários sempre à mão.

 

[Texto 7130]

Helder Guégués às 20:32 | comentar | favorito
Etiquetas: ,