Ortografia: «tropa fandanga»

A culpa é dos Espanhóis

 

      «É o brilho lusitano de uma tropa fandanga gloriosamente impávida, para maior honra dos nossos maiores, maior promoção dos nossos políticos e maior lucro dos nossos empresários» (A Morte de Ninguém, Vasco Graça Moura. Lisboa: Quetzal Editores, 1998, p. 44).

      Confesso que não sei porque aparece grafado com hífen na maioria dos dicionários, vocabulários e prontuários. Vejamos a origem da expressão: «Diz-se de qualquer aspecto de abandono, de qualquer organização que funciona mal.

      De facto, depois da queda de Olivença, em 1801, até à reorganização de 1806, o Exército era um bando completamente desorganizado, mal pago, indisciplinado, sem instrução, sem armamento nem comandos, minado pelas sociedades secretas, com o qual não se podia contar para a guerra. É desta altura que deriva a expressão em título, que significa “tropa ordinária, reles, desordeira”. Apesar de as condições se terem alterado radicalmente desde então até hoje, a expressão “tropa fandanga” continua a utilizar-se» (Presença Militar na Língua Portuguesa, Aleu de Oliveira. Lisboa: Ministério da Defesa Nacional, 1993, p. 145).

 

[Texto 6654]

Helder Guégués às 00:15 | comentar | favorito
Etiquetas: ,