Os Braganças

Plebeus e nobres, Silvas e Braganças

 

      «A conspiração do “1 de Dezembro”, como sempre apropriadamente lhe chamaram, foi um movimento de uma pequena parte da grande nobreza indígena para pôr no trono o duque de Bragança, de resto um potentado da península que a Espanha temia por razões dinásticas. A altura era favorável: o conde-duque de Olivares tinha pedido a Portugal algum dinheiro e uns tantos soldados, na Catalunha as coisas não corriam bem para Madrid e havia em Portugal um descontentamento difuso. Mas ninguém se lembrou de ver naquilo o renascimento da Pátria; pelo menos, durante mais de 15 anos. A “guerra da independência” consolidou os Braganças, sem ter nunca criado uma verdadeira “identidade nacional”. A importância que hoje o PS e o CDS resolveram dar ao episódio não se compreende» («Feriados», Vasco Pulido Valente, Público, 7.12.2014, p. 56).

 

[Texto 5334]

Helder Guégués às 10:32 | comentar | favorito
Etiquetas: