Óscares e afins

Fevereiro, Óscares

 

     «Durante quase cinquenta anos, o fotógrafo William Christenberry regressou ao Alabama para fotografar os prédios rurais, igrejas e cafés à beira da estrada do Condado de Hale, onde, em criança, passava o verão nas terras dos seus avôs. O oscarizado realizador Alexander Payne nasceu, como Kurt, em Omaha» (Click! Como Funciona a Criatividade, Julie Burstein. Tradução de António Teixeira dos Santos. Alfragide: Estrela Polar, 2011).

      Oscarizado — o que pressupõe o verbo oscarizar. Podem ir, porque não?, para os dicionários, que não nos envergonharão. E, já agora, oscarizável. O Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora só regista — mas já não é mau, e devia ser seguido por todos — Óscar/Óscares. Não vejo, pois, necessidade de usar, como alguns ainda fazem, o termo Oscars. (Reparem: «passava o verão nas terras dos seus avôs». É, lembrar-se-ão daqui, como também passámos a escrever.)

 

[Texto 7514]

Helder Guégués às 11:14 | comentar | favorito
Etiquetas: ,