«Parecido a/parecido com»

Uma turma de repetentes?

 

      Só ontem me disseram: no programa Pontapés na Gramática, na Antena 3, Sandra Duarte Tavares, a 5 de Novembro passado, afirmou: «A explicação é breve, concisa, objectiva, como nós gostamos aqui no nosso Pontapés na Gramática, e diz assim: o adjectivo parecido rege, ou seja, é acompanhado da preposição com e não da preposição a. O adjectivo que gosta da preposição a é o adjectivo semelhante. “X é semelhante a x”, “x é parecido com y”. E por causa do semelhante, por contaminação do semelhante há tendência para dizermos “parecido a”. Não se esqueçam, queridos ouvintes, de que o adjectivo parecido pede, é acompanhado da preposição com.» Joana Dias ainda voltou a perguntar-lhe se não se podia mesmo usar a construção parecido a. «De todo. Não, não, não. De todo. É um erro sintáctico.»

   Pena é que esta lição não tenha efeitos retroactivos. Veja aqui os alunos que aproveitariam dela:

 

  • «Por esta causa Henrique Harfio, Varão iluminado, e um dos Doutores mysticos, e espirituaes da primeira classe, tratando dos actos anagogicos do amor Divino, ou jaculatorias abrazadas, adverte que pode este exercicio ser puramente natural, e por elle adquirir-se hum amor muy parecido ao Divino, porém que realmente o não seja; antes que pôde com elle a Alma andar em estado de condenação» (Luz e Calor, P.e Manuel Bernardes).
  • «Com um S. Ignacio, com uma imagem da mais heroica virtude: com uma imagem da mais consummada perfeição: com uma imagem da mais prodigiosa santidade: em fim, com um santo, não similhante e parecido a um só santo, senão similhante e parecido a todos: Et vos similes hominibus» (Sermão de Santo Inácio, P.António Vieira).
  • «O pleito com o Núncio é muito parecido ao nosso, e uns e outros parece navegamos para Inglaterra» (Cartas, P.e António Vieira).
  • «Não há acção mais parecida às de Cristo» (Cartas, P.e António Vieira).
  • «Rato, nome de hum peixe parecido ao rato» (Dicionário Etimológico da Língua Portuguesa, Francisco Solano Constâncio).
  • «Sahe de huma planta purpura rubente,/Sangue dimana, parecido ao nosso,/Para os que usão talhar os Cáspios Mares» (Obras Poéticas, Bocage).
  • «A outra mão segurava o carapuço, agudo na ponta, e largo na bocca, parecido ao funil, quasi pyramidal, de que a imaginação vesga de um poetastro toucou a serombatica fronte do sabio Abacadabro» (A Mocidade de D. João V, Rebelo da Silva).
  • «Madrépora, s f. t. d’Hist. Nat. Corpo marinho parecido a ramos de arbustos, semelhantes á pedra, em cujos vãos habitam polipos» (Dicionário da Língua Portuguesa, António de Morais Silva).
  • «Symbiota, m. espécie de ácaro, parecido ao psoropta» (Novo Dicionário da Língua Portuguesa, P.e Cândido de Figueiredo).

 

[Texto 5739]

Helder Guégués às 08:03 | comentar | favorito