«Pendura», uma acepção

Olhem que não

 

      «O seu enfant terrible, o cavaleiro do LSD, vendedor de ilusões psicadélicas em pastilhas prontas a derreter debaixo da língua, encontrava-se displicentemente sentado no seu monstro de duas rodas, uma bota apoiada no chão e a outra atravessada por cima do banco, recostado no ferro que servia de encosto no lugar do pendura» (O Último Ano em Luanda, Tiago Rebelo. Alfragide: Asa, 9.ª ed., 2013, p. 36).

   Pendura numa moto, pois claro, mas o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora só regista «num automóvel, pessoa que ocupa o lugar ao lado do condutor».

 

[Texto 7520]

Helder Guégués às 23:15 | comentar | favorito | partilhar