Pés-de-galinha e pés de galinha

Uma esperança vã

 

      Como se não bastasse a incoerência do texto do Acordo Ortográfico de 1990, os intérpretes das suas regras não sabem distinguir casos diferentes. Sandra Duarte Tavares, na emissão de 27 de Maio dos Pontapés na Gramática, na Antena 3, lá veio ensinar os «prezados ouvintes» que, segundo o «acordo vigente», devem escrever «pé de galinha», a ruga no canto do olho, sem hífenes, reservando «pé-de-galinha» para o nome botânico. Sobre este último não há dúvidas (embora a sua aplicação deixe muito a desejar), mas temos mais dois sentidos, um denotativo e outro conotativo. Que fazemos? Confundimo-los? D’Silvas Filho já chamou a atenção para esta incoerência (exemplificando com pé de galinha, mas saco-roto) e sugeriu que se podia ultrapassar se o intérprete se deixasse de ortodoxias cegas.

 

[Texto 5935]

Helder Guégués às 08:32 | comentar | favorito
Etiquetas: ,