Pimenta no c***

Nada cristão, mas humano

 

      Pergunta a jornalista Clara Soares a Tiffany Watt Smith, historiadora cultural na área das emoções: «O que a levou a estudar a emoção de comprazer-se com o mal dos outros? Algo que em Portugal se aproxima da expressão “pimenta no cu dos outros para mim é refresco”?» («“Sentir prazer com a desgraça dos outros é uma emoção humana bastante comum”», Clara Soares, Visão, 3.11.2019, 19h20). A historiadora ficou toda divertida e quis anotar a expressão. Exactamente com esta formulação — mas há sempre, dado transmitir-se por tradição oral, variantes — não a conhecia, mas aproximada. José Pedro Machado, no Grande Livro dos Provérbios (Lisboa: Editorial Notícias, 1996), regista algumas: Pimenta no cu da gente é refresco no cu dos outros. Pimenta no cu dos outros não arde. Pimenta no olho dos outros é refresco. Pimenta no rabo (cu) dos outros não arde. Pimenta nos olhos dos outros não arde.

 

[Texto 12 818]

Helder Guégués às 09:45 | favorito
Etiquetas: ,