«Pôr em xeque»

Bem e mal

 

      «Ministério confirma que major Brazão subarrendava apartamento das Forças Armadas» (Rádio Renascença, 10.10.2018, 9h00). Muito bem. Como aqui: «Casa militar arrendada a turistas. “Há uma espécie de manto de corrupção moral a envolver o Estado”» (Rádio Renascença, 10.10.2018). Depois, porém, neste texto, cai por terra qualquer esperança: «Comentadores da Renascença [Henrique Raposo e Jacinto Lucas Pires] analisam o caso que põe em cheque o militar que denunciou o alegado envolvimento de altas hierarquias no aparecimento das armas de Tancos.»

      Senhor jornalista, é pôr em xeque, isto é, pôr em má situação. É verdade que há dicionários (!) que registam ambas as formas, provando assim que a ignorância e o erro encontram agasalho onde é mais improvável.

 

[Texto 10 083]

Helder Guégués às 11:18 | comentar | favorito | partilhar
Etiquetas: ,