Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Linguagista

«Porque» e «por que»

Não está bem

 

 

      «Mas afinal qual é o espanto? Para argumento fácil, retalie-se com “fácil e meio”. Se alguém defende vigorosamente, por horror ao centralismo e à ineficiência, que o Reino Unido deve sair da União Europeia, porque é que não há-de admitir-se que, por igual horror ao centralismo e por amor ao dinheiro do petróleo, a Escócia abandone o Reino Unido e volte ao trilho histórico da independência? Se alguém julga estar submetido ao centralismo de Londres, porque razão há-de ter medo do centralismo de Bruxelas (que é bem menor, está menos enraizado e afinal fica mais longe)?» («O ricochete inglês (da Europa para a Escócia)», Paulo Rangel, Público, 9.09.2014, p. 44).

      Então não se trata, caro Paulo Rangel, da preposição «por» seguida do pronome relativo «que», o que equivale a «por qual»?

 

[Texto 5025]

Comentar:

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.