Portas de harmónio

Porque pode ser convicção

 

      «Depois de ter mudado de presidente do partido, de ter eleito um novo líder da bancada parlamentar e de ter escolhido novos coordenadores para as comissões, o que faltava ao PSD? Mudar a mobília. [...] Escancararam-se as três portas de harmónia (sempre fechadas) em madeira e vidrinhos, desmontaram-se os velhos móveis e reorganizaram-se os gabinetes» («A mudança. PSD de mobília às costas», Público, 10.03.2018, p. 10).

      Pode não ser nada, mas pode ser convicção. O Garganta Funda atrapalhou-se: como acabou a falar nas desavenças no PSD, essa falta de harmonia comunicou-se ao texto: é portas de harmónio. Como há harmónios e harmónicas, houve ali um conúbio antinatura.

 

[Texto 8895]

Helder Guégués às 18:02 | comentar | favorito
Etiquetas: ,