Posição dos clíticos

Em tudo

 

      «Substituída a peça pela sua imagem fotográfica, que é um fantasma, toda a arte venatória torna-se um espectro» (Sobre a Caça e os Touros, José Ortega y Gasset. Tradução de José Bento. Lisboa: Edições Cotovia, 2004, 2.ª ed., p. 74). «Sustituida la pieza por su imagen fotográfica, que es un fantasma, la venación entera se espectraliza.»

      Na tradução, na língua, tudo são pormenores e em tudo se tem de pensar. O ouvido, e mais o ouvido de um poeta, exige ali a próclise do pronome, é essa a tendência quando o sujeito da oração contém o numeral ambos ou um pronome indefinido como todo, tudo, alguém, outro, qualquer, etc.

 

[Texto 4146]

Helder Guégués às 07:40 | comentar | favorito
Etiquetas: