«Preço compreensivo», dizem eles

Uma língua emprestada

 

   «O actual modelo de financiamento foi outro ponto central na discussão. As unidades, à semelhança do que acontece com a hemodiálise, são pagas pelo chamado “preço compreensivo”, isto é, recebem um valor fixo por cada doente com VIH que tratam, cabendo-lhes fazer a melhor gestão possível dessas verbas — uma modalidade com a qual mais de 68% dos peritos concordam» («Peritos não querem doentes com VIH seguidos pelo médico de família», Romana Borja-Santos, Público, 28.10.2014, p. 10).

    Chamado «preço compreensivo», mas mal, porque «compreensivo», nesta acepção, é anglicismo completamente desnecessário.

 

[Texto 5195]

Helder Guégués às 08:27 | comentar | favorito
Etiquetas: