«Put oneself in else’s shoes»

Nem pés nem sapatos: cabeça

 

      Pareço o Emplastro: um português qualquer diz um disparate, e lá estou eu por detrás do fautor. No Portugal em Directo, da Antena 1, Mário Galego foi falar com Alexandre Monteiro, arqueólogo e coordenador do Centro de Arqueologia Náutica do Alentejo Litoral, com sede em Alcácer do Sal. A propósito da descoberta de um biberão... — biberão não, porra, que é galicismo — uma mamadeira, assim é que é, enterrada com um bebé numa sepultura romana, disse o arqueólogo: «Nós aqui nas reservas de Alcácer do Sal temos um biberão romano e quando sabemos que esse biberão foi enterrado juntamente com um bebé que morreu quando tinha cerca de quatro meses de idade, nós conseguimos, se formos pais, pôr-nos nos pés daquela família que resolveu enterrar o bebé com o biberão.» Algum revisor manhoso lhe terá dito certo dia que não se diz «pôr-se nos sapatos dos outros» (como fazem alguns tradutores...), mas sem lhe explicar que não se trocam os sapatos pelos pés. Idiomatismo por idiomatismo: os Ingleses põem-se nos sapatos dos outros; nós, ou nos pomos no lugar ou na pele dos outros.

 

[Texto 8799]

Helder Guégués às 18:50 | comentar | favorito | partilhar
Etiquetas: ,