Repitam, mas escrevam bem

Máxima inovação

 

      Esta tarde, fui ao Teatro Camões ver Quebra Nozes Quebra Nozes (sic) pela Companhia Nacional de Bailado. De vez em quando, sabe bem estar longe, bem longe das palavras, só movimento e música. Mas as palavras perseguem-me: por todo o lado, só se via escrito como está ali em cima, «Quebra Nozes Quebra Nozes». Está bem que a história foi recriada, actualizada (logo no início, tiram uma selfie), mas a ortografia não precisava de ser nem actualizada nem recriada, acho eu. Isso já foi feito por outros, e muito mal.

 

[Texto 5394]

Helder Guégués às 22:16 | comentar | favorito | partilhar
Etiquetas: ,