«Reunir-se com»

Acertos e desacertos

 

    «O presidente da ANDE foi um dos diretores de escolas TEIP (prioritárias) e com contrato de autonomia que ontem reuniram com os secretários de Estado João Grancho e João Casanova de Almeida. E do encontro saiu “abertura” da tutela para permitir soluções como a “contratação temporária de professores” ou o “pagamento de horas extraordinárias” aos titulares de turma, casos [sic] estes manifestem essa disponibilidade. No Estado, recorde-se, as horas extras são pagas a 25%, na primeira hora, e a 37,7% nas seguintes» («Pais propõem férias mais curtas para alunos recuperarem matérias», Pedro Sousa Tavares, Diário de Notícias, 16.10.2014, p. 10).

   «Horas extras» — perfeito; «reuniram com» — errado. O verbo «reunir», no sentido em que foi usado, conjuga-se pronominalmente, «reunir-se». Posso reunir pessoas, porcos e pedras, mas, se me junto às pessoas, reúno-me com elas.

    (A propósito — ou não, já me dirão —, de manhã ouvi na Antena 1 que o vencedor do Prémio Leya de Literatura era bisneto de Eça de Queirós; mas já li que era trineto e mesmo tetraneto; quem reflecte um pouco mais, prefere afirmar que é descendente daquele escritor.)

 

[Texto 5158]

Helder Guégués às 19:47 | comentar | favorito
Etiquetas: ,