«Revisão textual»

Textualmente

 

      «Mas seria impossível inventariar aqui as revisões textuais que se lhe ficarão a dever, em muitos casos de obras cruciais da literatura portuguesa contemporânea, ao longo das décadas seguintes, quer na Portugália, quer durante os anos que esteve na Gulbenkian, onde entra como empregado eventual em 1970» («Luís Amaro (1923-2018): um homem que era a memória viva da literatura portuguesa contemporânea», Luís Miguel Queirós, Público, 24.08.2018, 19h30).

      Ia jurar que é a primeira vez que vejo isto num texto português. Talvez esteja enganado, talvez seja a segunda.

 

[Texto 9844]

Helder Guégués às 09:00 | favorito
Etiquetas: