«Ruptura, rutura, rotura»

Se não há canos, não uso

 

      «Em clara rotura com a fé mercantilista, etc.» Chega para perceber. O autor quer seguir a novíssima ortografia e, ao mesmo tempo, evitar que essa opção seja muito evidente. Ora, a verdade é que houve, de alguma maneira, uma especialização: embora sinónimos, ruptura e rotura não se usam indiferentemente em todos os contextos. Assim, rotura é mais empregado em casos em que ocorre um rompimento físico, como o de um cano, por exemplo, ao passo que ruptura é mais usado quando estão em causa questões imateriais, intangíveis. No caso acima, optaria sem qualquer dúvida por esta grafia. Claro que, de acordo com a nova ortografia, escreveria — já expliquei noutro lugar porquê — rutura.

 

[Texto 5816]

Helder Guégués às 14:55 | comentar | favorito
Etiquetas: ,