Sanchos Panças

Tudo a dobrar

 

      «Não são os Sancho Panças que dignificam a vida, são os D. Quixotes, e o pouco que em Sancho nos seduz é o que não se explica pela normalidade» (Diário Crítico, Sérgio Milliet. São Paulo: Editora Brasiliense Lda., 1956, p. 22). Podia pensar-se que é assim, mas não: «Voltae para esse corpo achacadiço e apodrentado o vosso animo beneficente, Sanchos-Panças lerdos, pantalões administrativos!» (O Que Fazem Mulheres, Camilo Castelo Branco. Lisboa: Parceira A. M. Pereira, 1907, p. 17).

 

[Texto 6292]

Helder Guégués às 20:51 | favorito
Etiquetas: ,