Saturnália/Saturnais

Tudo ao contrário

 

      «E se, por um dia, decidisse fazer exatamente o inverso do que costuma fazer todos os dias? De cima para baixo, de dentro para fora, de trás para a frente — mudar tudo para o seu oposto é o mote do Dia ao Contrário. [...] Houve sempre, contudo, ao longo da História e em várias culturas, um dia dedicado a inverter as normas sociais em prol da liberdade. Na Roma Antiga, durante o festival da Saturnaia, celebrado entre 17 e 23 de dezembro, em honra do deus Saturno, os senhores serviam os escravos, os tribunais fechavam e os jogos de sorte e azar eram excecionalmente permitidos. “O melhor dos dias”, nas palavras do poeta Catulo» («E se um dia tudo fosse o seu contrário? Hoje é o dia», Carolina Rico, TSF, 31.01.2018, 8h54).

      Carolina Rico, assim até parece um nome russo, sei lá, Saturnaya, o nome de uma festa de proletários num colcoz. Nada: é Saturnália ou Saturnais (o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora só regista, e faz mal, este último), um festival popular romano em honra de Saturno, que marcava o início do solstício de Inverno, no dia 21 de Dezembro. Sim, era uma época do ano em que tudo era ao contrário, os escravos mandavam nos senhores, por exemplo, mas época também de descomedimento total. Só para verem, o rei do desbragamento, o Saturnalicius princeps, tinha direito de copular com qualquer mulher...

 

[Texto 8650]

Helder Guégués às 16:00 | favorito
Etiquetas: ,