S&M só em inglês?

Não pode ser

 

 

      «Com as suas imagens explícitas de pénis e punhos, chicotes e leather, o fotógrafo americano Robert Mapplethorpe (1946-1989) foi um pioneiro na aproximação entre a pornografia e o sadomasoquismo e a arte. A ousadia chocou a América nos moralistas anos 80 da era Reagan – ao ponto de a Corcoran Gallery of Art, em Washington, ter cancelado uma retrospectiva da sua obra em 1989, logo após a sua morte, depois dos protestos do Congresso» («Robert Mapplethorpe: S&M no Grand Palais», Kathleen Gomes, «Ípsilon»/Público, 11.04.2014, p. 3).

      Se eu, português, for a esta retrospectiva (a maior de sempre, com 263 obras) de Mapplethorpe no Grand Palais, em Paris, já sei que não vou encontrar leather, cuero, cuir, pelle ou Leder, mas pele, couro, cabedal. O que remete, no sadomasoquismo, para o universo da caça, pela alusão à dor, à dominação, mesmo à morte. Todas elas realidades também exprimíveis em português.

 

[Texto 4366] 

Helder Guégués às 11:58 | favorito
Etiquetas: ,