Sobre «destrocar»

Não são trocos

 

 

    «– É melhor destrocarem os carapuços – gritou-lhes Park, a rir, atirando para bordo o barrete; por sua vez Somerville mandava o chapéu para o legítimo dono, que ria entre a tripulação de um dos barcos próximos» (Os Mercadores de Peles, Robert Ballantyne. Tradução de José da Natividade Gaspar. Lisboa: Portugália Editora, [1960], p. 60).

  Está certíssimo, pois claro, já que significa desfazer uma troca, mas há algum receio de usar a palavra, o que se deve porventura à dúvida sobre a legitimidade da acepção popular de trocar uma quantia de dinheiro por valor igual em moedas ou notas de valores mais baixos. Equivale ao castelhano descambiar, que também significa devolver uma compra, já que se entende que antes houve uma troca, o dinheiro pelo artigo.

 

[Texto 4709] 

Helder Guégués às 09:10 | favorito
Etiquetas: