Sobre «dia-a-dia»

Como é, pode saber-se?

 

    «As próximas eleições presidenciais voltam a marcar o dia-a-dia do PS» («António Costa protege candidatura de Sampaio da Nóvoa», João Pedro Henriques, Diário de Notícias, 13.08.2015, p. 11).

    Com o novo acordo ortográfico, a grafia do substantivo dia-a-dia passou a não ter hífenes: dia a dia. Ou já estaria consagrada a grafia com hífenes? É que o n.º 6 da Base XV do Acordo Ortográfico de 1990 estabelece que nas locuções de qualquer tipo não se aplica o hífen, a não ser em palavras cujo uso já esteja consagrado. O jornalista entende (?) que a forma hifenizada tinha uso consagrado, e por isso continua a usá-la; os dicionaristas entendem o contrário, e por isso escrevem-na sem hífenes. Em suma, cada um escreve como quer (é o desacordo) e todos têm razão (é o acordo)... Nunca houve tantas dúvidas sobre a ortografia, isso sim.

 

[Texto 6160]

Helder Guégués às 17:12 | favorito
Etiquetas: ,