Subtileza, hein?

Tem capa, mas não escapa

 

      «“Nunca passei fome. Os meus filhos nunca passaram fome. Os meus netos nunca passaram fome. Mas, em Portugal, ainda há gente que sofre por não ter de comer.” Está assim escrito na capa do novo livro de Maria Filomena Mónica e é este o ponto de partida para Os Pobres. É um retrato da pobreza em Portugal tal como é visto pela autora, agora e desde há décadas — muito provavelmente desde os 16 anos, desde que visitou um bairro de lata, como escreve no livro.» («Maria Filomena Mónica e a pobreza em Portugal», Observador, 19.11.2016).

      Está mesmo, já vi. Parece mentira, mas está. Gente que não tem de comer não é digna de lástima — mas de inveja. Em Oxford não há-de ser diferente. Digo eu, que só conheço Cambridge. De gente que não tem que comer é que devemos ter pena. E dos sem-abrigo, dos sem-gramática, etc.

 

[Texto 7258]

Helder Guégués às 21:17 | comentar | favorito
Etiquetas: ,