Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Linguagista

«Senão», mais uma achega

Mais um exemplo

 

      Retenham bem: «Outro: João Pinto Ribeiro, filho de um plebeu de Amarante, na restauração de Portugal, valeu tanto, senão mais, que as quarenta espadas dos conjurados» (O Santo da Montanha, Camilo Castelo Branco. Lisboa: Parceria A. M. Pereira, 1972, p. 19).

 

[Texto 15 776]

«De modo que»

Mas não insistirei mais

 

      Então achavas que eu ia perder tempo se não tivesse a certeza e não fosse importante? «De modo a. Esta redacção de Camilo é afrancesada. “voltando-o (o rosto) de modo a não ser visto de frente”. (O Bem e O Mal, pág. 44, 4.ª edição). Em português diz-se e escreve-se correctamente: de modo que. De modo a que é também erróneo» (Grande Dicionário de Dificuldades e Subtilezas do Idioma Português, vol. I, Vasco Botelho de Amaral. Lisboa: Centro Internacional de Línguas, 1958, p. 1077). Podia continuar a citar, mas para quê?

 

[Texto 15 774]