28
Fev 18

Outro verbo assassinado

Mais poluição linguística

 

      «Acima de tudo, afirma [Francisco Ferreira, da Associação Zero], faltam implementar medidas de emergência para actuar no imediato quando os limites da qualidade do ar são ultrapassados» («Portugal sem medidas de emergência quando qualidade do ar é má», Ana Maia, Público, 28.02.2018, p. 4).

      Já falei disto algumas vezes, mas vamos lá de novo. Já o ensinei a revisores e a professores universitários: o sujeito do verbo «faltar», que é pessoal, é outro verbo, o verbo «implementar» (t’arrenego!), que está no infinitivo. O valor nominal do verbo no infinitivo exige assim que o verbo «faltar» esteja no singular: «falta implementar medidas». Também falta estudar um pouco mais a gramática.

 

[Texto 8832]

Helder Guégués às 21:06 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,
21
Fev 18

«Onde» e «aonde», a confusão

Persiste

 

      «“Não é nenhuma beatinha nem nenhuma santinha”, exclama-me a abadessa do convento aonde reside, no alto de Coimbra» (Nascido no Estado Novo, Fernando Dacosta. Lisboa: Círculo de Leitores, 2002, pp. 191-92).

      Não, não. Temos onde, aonde e donde, três advérbios. Estes últimos dois implicam movimento, para onde e de onde, respectivamente. Ora, «residir» indica permanência, quietação, não movimento. Difícil?

 

[Texto 8781]

Helder Guégués às 20:07 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,
18
Fev 18

«Porque/por que»

A confusão continua

 

      Atropelado na ciclovia por um grande empresário português de nome italiano — um privilégio... estar ainda vivo. Nem tive tempo para me assustar. E a propósito de anomalias: «Intrigado, Sá Carneiro fá-lo-á. Pouco depois, Natália liga para Snu: “Menina, o príncipe encantado porque esperavas vai aparecer-te”» (Nascido no Estado Novo, Fernando Dacosta. Lisboa: Círculo de Leitores, 2002, p. 174). Erro do autor (jornalista...), erro do revisor.

 

[Texto 8757]

Helder Guégués às 16:05 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,
07
Fev 18

Gramática atropelada

Com tractores é assim

 

      «Todos os dias acorda com as galinhas, em direção à garagem. Henrique Ferreira, 90 anos, espera-lhe um dia de trabalho pela frente» («Velho demais para conduzir trator?», Liliana Carona, Rádio Renascença, 7.02.2018, 10h14).

      Liliana Carona, é assim que se escreve agora? Reveja bem a matéria. E, enquanto a jornalista se ocupa a estudar a gramática, para os responsáveis da Renascença vai a pergunta: quando é que, em relação ao Acordo Ortográfico de 1990, se definem de uma vez e deixa de ser dez no cravo e uma na ferradura?

 

[Texto 8705]

Helder Guégués às 15:18 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,
01
Nov 17

«Quer levar-nos a todos»

Então não é?

 

      «– O futuro a Deus pertence. Ele decidirá – depois, com um sentido mais clínico, rematou a conversa: – A “espanhola” quer levar-nos todos para o cemitério, Alice» (Mataram o Sidónio!, Francisco Moita Flores. Revisão de Ayala Monteiro. Lisboa: Leya, 2010, p. 9).

      As aspas, as aspas... Bem, mas estamos aqui por outro motivo: com todo/todos (e outros pronomes indefinidos), não se costuma usar o complemento directo regido da preposição a? «A espanhola quer levar-nos a todos para o cemitério, Alice.»

 

[Texto 8286]

Helder Guégués às 18:36 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,
25
Out 17

«Reparar em si/reparar nela»

Esta é mais grave

 

      «Essas raparigas tratavam-na [a Lupe] com desdém, quando se davam ao trabalho de reparar em si» (Pintar o Futuro — Uma História de Amor e de Esperança, Louise L. Hay e Lynn Lauber. Tradução de Duarte Sousa Tavares. Lisboa: Pergaminho, 2012, p. 22).

      Esta é uma justa homenagem a Montexto, que já nos ensinou isto dezenas de vezes. Qual o sujeito da frase, Duarte Sousa Tavares? Essas raparigas. Então, «quando se davam ao trabalho de reparar nela», Lupe. «These girls treated her with contempt when they noticed her at all.» Confesso que por vezes não é assim tão fácil de ver; este caso, porém, é para principiantes.

 

[Texto 8264] 

Helder Guégués às 21:26 | comentar | ver comentários (3) | favorito
Etiquetas: ,
17
Out 17

O particípio de «intervir»

Todas as opiniões

 

      «Os Estados têm intervido ao investir em infra-estruturas e em indústrias de base, etc.» Estamos sempre, todos nós, não é?, a corrigir este erro. Ora, há quem defenda (Helena Mateus Montenegro, por exemplo, nas Questões de Gramática do Português, pp. 25-26) que, para desambiguar e por ser mais eufónico nas formas compostas com o verbo «ter», o particípio passado de «intervir» é intervido. E não defende o mesmo Rodrigo de Sá Nogueira, na página 272 do seu Dicionário de Verbos Portugueses Conjugados?

 

[Texto 8229]

Helder Guégués às 11:35 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,