Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Linguagista

Como se traduz por aí

Simplesmente aberrante

 

      «Le démontage de l’échafaudage qui était en place lors de l’incendie a été l’un des chantiers les plus complexes de cette phase de travaux. Il a fallu aussi procéder à “ la dépose du grand orgue, des chantiers-tests de nettoyage dans deux chapelles, la pose de cintres en bois sous les arcs-boutants ou encore (au) déblaiement et (au) tri des vestiges et la sécurisation de la croisée du transept ”, précise le communiqué» («Les travaux de sécurisation de Notre-Dame de Paris achevés, la restauration va commencer», CentrePresse, 18.09.2021, 12h31).

      Agora vejamos como a Lusa traduziu aquilo: «“A catedral está agora totalmente segura” após esta fase que incluiu o desmantelamento do andaime que estava instalado durante o incêndio, “a remoção do grande órgão, a limpeza dos locais de ensaio em duas capelas, a instalação de cabides de madeira sob os contrafortes voadores ou a clareira e triagem dos restos mortais e assegurar a travessia transepto”» («Concluídas obras de consolidação da catedral de Notre-Dame», Rádio Renascença, 18.09.2021, 13h03). E na Rádio Renascença, tal como noutros meios, limitam-se a reproduzir tal qual os disparates da Lusa. Isto é que é brio profissional...

 

[Texto 15 481]

Como se escreve por aí

Não façam isso

 

      «Se a imagem lhe causa calafrios, dispensa as apresentações. Para os menos familiarizados, aqui vai ela: eis a palmatória, menina dos cinco olhos, férula ou Santa Luzia. Formada por uma haste e um círculo, feita de madeira, adotada nas escolas algures no século XIX e usada durante grande parte do século XX, a palmatória foi um aliado indispensável para os professores e o terror de muitos alunos» («Dói só de olhar», Ana Tulha, Notícias Magazine, 11.09.2021, p. 6).

      Primeiro, endireitemos um pouco as coisas: «Se a imagem lhe causa calafrios, dispensa apresentações. Para os menos familiarizados, aqui vai ela: eis a palmatória, menina-de-cinco-olhos, férula ou santa-luzia.» (Sem AO90, para mim.) E não é ridículo que se descreva a palmatória — objecto que eu nunca vi à minha frente — daquela maneira, coincidente com a definição dos nossos dicionários, e a imagem que ilustra o texto seja de uma palmatória brasileira, que não apresenta nenhum círculo, antes parecendo uma panela de escape? Francamente. Bem podem orar a Santa Luzia, padroeira das pessoas com problemas visuais.

 

[Texto 15 459]