02
Abr 20

Léxico: «SARS-Cov-2 | australasiático»

Não me convencem

 

      «Como é que a covid-19, a doença causada pelo SARS-Cov-2, afecta as pessoas? Numa entrevista ao jornal britânico The Guardian, o pneumologista John Wilson frisou que as pessoas com covid-19 podem ser divididas em quatro grandes categorias. Na primeira estão as que têm o vírus, mas não apresentam sintomas. Noutra estão as que têm uma infecção no tracto respiratório superior, “o que significa que têm febre, tosse e talvez sintomas mais ligeiros como dor de cabeça ou conjuntivite”, referiu o também presidente do Colégio Real Australasiático de Médicos» («Por que é que a covid-19 afecta as pessoas de forma diferente?», Teresa Sofia Serafim, Público, 1.04.2020, p. 8).

      Suponho que SARS-Cov-2 também tem de estar nos dicionários, ou não? No dicionário da Porto Editora podemos ver «australasiano» e «australásio», mas não australasiático. E, seja como for, «australasiano» não é o inglês Australasian cuspido e escarrado? E ásio- não é apenas elemento de formação de palavras? Não sei, não sei. Para mim, australasiático é o único que está correcto — e é o único que não encontramos nos dicionários! A propósito: a definição de Australásia na Infopédia estará correcta? Diz que é «constituída pela Austrália e Nova Zelândia», mas não é o que vejo noutras enciclopédias e dicionários. Para rever também.

 

[Texto 13 073]

Helder Guégués às 09:45 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «pericial»

Metade está feito

 

      «A procuradora-geral da República, Lucília Gago, emitiu uma diretiva aos procuradores sobre como atuar durante a pandemia. Aplica-se o regime das férias judiciais e os magistrados devem trabalhar de casa recorrendo a meios tecnológicos, mesmo nos casos urgentes. Os prazos são suspensos quando não for possível a diligência. Atividade pericial só em articulação com a Medicina Legal. Os magistrados que marcaram férias podem dá-las sem efeito» («PGR manda os procuradores para teletrabalho», Correio da Manhã, 1.04.2020, p. 7).

      Então, se não te recordas, Porto Editora, vou citar o que dizes sobre pericial: «1. relativo a perito; 2. feito por perito». E sobre perícia, não se diz nada?

 

[Texto 13 072]

Helder Guégués às 09:30 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «ausculta»

Mas é assim no Brasil

 

      «Se alguém relata falta de ar, possível sinal de agravamento de Covid-19, ele afirma que essa dificuldade é avaliada junto à oxigenação do sangue, à ausculta dos pulmões, à coloração dos dedos e ao esforço feito pelo paciente. Na dúvida, o médico pode ainda pedir algum exame de imagem, como uma tomografia» («Mesmo falta de ar não garante realização de teste para Covid-19», Phillippe Watanabe, Folha de S. Paulo, 1.04.2020, p. B8).

 

[Texto 13 071]

Helder Guégués às 09:15 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «garrafada»

Não uma, mas duas

 

      Para já, toma lá esta: «Um militar da GNR, de 28 anos, foi agredido com uma garrafa na cabeça em Carvoeiro, Lagoa, quando tentava acabar com uma festa, proibida devido ao estado de emergência» («GNR foi travar festa e levou garrafada», R. P. G. e J. C. E., Correio da Manhã, 31.03.2020, p. 16).

      Porto Editora, se te esforçares um pouco, até encontras duas acepções de garrafada que não registas.

 

[Texto 13 069]

Helder Guégués às 08:45 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «subnotificar | subnotificação»

Mais devagar

 

      «Um dos maiores empecilhos reconhecidos pelas autoridades é justamente a subnotificação de casos, ou seja, o número de infectados pode ser muito maior considerando diagnósticos que deixaram de ser feitos no País. Outra dificuldade é a disponibilidade de testes nos países produtores, como China e Estados Unidos, que também sofrem com os efeitos da pandemia do coronavírus» («Não há exames para todo mundo, afirma ministro da Saúde», André Borges, Daniel Weterman e Emilly Behnke, O Estado de S. Paulo, 31.03.2020, p. A9).

      Sim, isto é da imprensa brasileira, mas, Porto Editora, não podes saltar assim sem mais, à maluca, de subnegar para subnúcleo. Estás a subnegar-nos alguns vocábulos que usamos diariamente. Vá, mais devagar.

 

[Texto 13 067]

Helder Guégués às 08:15 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,
01
Abr 20

Léxico: «ornitísquio | saurísquio»

O critério é?...

 

      «Ao longo de 130 anos, os paleontólogos (que estudam fósseis) têm trabalhado com um sistema de classificação que agrupa as espécies de dinossauros em duas categorias: ornitísquios (com quadril de pássaro) e saurísquios (com quadril de lagarto)» («Paleontólogos sugerem que ‘árvore genealógica’ de dinossauros deve ser revista», Diário de Notícias da Madeira, 25.03.2017, 00h30).

      Pois claro: ornitísquio e saurísquio. É, por isso, com muita estranheza que vejo no dicionário da Porto Editora ornitísquio e saurisquiano. Se bem que, isto mata-me lentamente, na Infopédia usam «saurísquio». Que falta de critério é este?

 

 

[Texto 13 065]

Helder Guégués às 09:45 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «enquadrável»

Perdido nas mudanças

 

      Porto Editora, psiu, perdeste o adjectivo enquadrável nas mudanças: «O Infarmed esclarece que “a utilização de medicamentos é enquadrável no disposto na alínea a) do n.º 1 do artigo 92.º do Decreto-Lei n.º 176/2006, de 30 de agosto, na sua atual redação, correspondendo a uma Autorização de Utilização Excecional (AUE) individual requerida por uma instituição de saúde”» («Autorizados três pedidos para usar medicamento experimental em infetados com coronavírus», Hugo Monteiro e Joana Azevedo Viana, Rádio Renascença, 28.03.2020, 17h21).

 

[Texto 13 063]

Helder Guégués às 09:15 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,