20
Set 18

Léxico: «inverneiro»

Tão certo como eu ser Helder

 

      «A fumagem aproveitava a lareira, sempre acesa para cozinhar e aquecer a casa dos frios inverneiros. O porco era integralmente usado, do focinho ao rabo, passando pelas tripas, genialmente aproveitadas para invólucros, uma ideia que hoje nos pode parecer evidente, mas que teve origem em muita imaginação e escassez de meios» (Sabores do Ar e do Fogo/ Tastes of Air and Fire, Fátima Moura, coord. José Quitério. Lisboa: Clube do Coleccionador dos Correios, 2013, p. 92).

      É claro que inverneiro existe e se usa, Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora. Se queres saber, e para não ir mais longe, eu uso-o de quando em quando.

 

[Texto 9953]

Helder Guégués às 17:30 | comentar | favorito | partilhar
Etiquetas: ,

Léxico: «lumínico»

Não creio

 

      «Segundo [Letizia] Treves, a influência na arte europeia perdura até hoje. “As telas [de Caravaggio] têm uma originalidade notável, um naturalismo intenso, uma narrativa enérgica e uma carga emotiva única. E têm, claro, um tratamento lumínico que é simplesmente impressionante e que muitos tentaram copiar”, diz ainda Treves» («Sujos e repugnantes, eis os italianos na luz de Caravaggio», Paulo Anunciação, Diário de Notícias, 12.10.2016, 00h37).

      Castelhanismo? Não creio. No Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora: ✘. No VOLP da Academia Brasileira de Letras: ✔.

 

[Texto 9949]

Helder Guégués às 08:46 | comentar | ver comentários (1) | favorito | partilhar
Etiquetas: ,
19
Set 18

Léxico: «mecano»

Não compreendo isto

 

      Uma magnífica moradia em Meca. Se pudesse, mudava-me para lá. Sim, a menos de meia hora de Lisboa, em Alenquer, não a cidade santa da Arábia Saudita. A propósito, por que diacho os nossos dicionários não registam o gentílico mecano? Estou a rever uma tradução, e no original é Meccan para aqui, Meccan para ali, e nós, até na língua parentes pobres do mundo, ficamos a ver navios. Francamente.

 

[Texto 9947]

Helder Guégués às 15:06 | comentar | ver comentários (2) | favorito | partilhar
Etiquetas: ,

Léxico: «autocefalia»

Autozephalie

 

      «As igrejas ortodoxas funcionam segundo o princípio de autocefalia. Cada Igreja, que normalmente coincide com um Estado ou uma nação, governa-se a si mesma, mas os seus patriarcas, ou líderes, estão em comunhão uns com os outros. No seu conjunto, a comunhão ortodoxa é a segunda maior comunidade cristã do mundo, depois da Igreja Católica» («Russos denunciam interferência americana na Igreja Ortodoxa», Filipe d’Avillez, Rádio Renascença, 18.09.2018, 16h50).

      Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, acho que te esqueceste de autocefalia. Só num bilingue, Autozephalie.

 

[Texto 9946]

Helder Guégués às 14:33 | comentar | ver comentários (2) | favorito | partilhar
Etiquetas: ,

Léxico: «penca»

É verdade

 

      Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, temos aqui um cliente insatisfeito. Por favor, resolve isto depressa. Caramba, já está há décadas na Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira. «É deste filme a memorável imagem de Carmen com uma gigantesca penca de bananas em perspectiva sobre a sua cabeça» (O «It Verde e Amarelo» de Carmen Miranda (1930-1946), Tânia da Costa Garcia. São Paulo: Annablume, 2004, p. 169).

 

[Texto 9945]

Helder Guégués às 10:42 | comentar | ver comentários (3) | favorito | partilhar
Etiquetas: ,

Léxico: «ferroportuário»

Arrecada-o

 

      «A construção de um terminal ferroportuário em Leixões, para fazer face ao crescimento contínuo do tráfego de contentores, é visto pelo Eixo Atlântico como um objetivo estratégico para a competitividade dos portos na eurorregião Galiza-Norte de Portugal» («Terminal ferroportuário em Leixões é objetivo estratégico para Eixo Atlântico», Diário de Notícias, 17.09.2018, 11h16).

      Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, arrecada-o, já é teu.

 

[Texto 9942]

Helder Guégués às 08:24 | comentar | ver comentários (1) | favorito | partilhar
Etiquetas: ,
18
Set 18

Léxico: «jejum oral»

Muito bem

 

      «Segundo o hospital, o ex-capitão do Exército [Jair Bolsonaro] continua em jejum oral, recebendo alimentação apenas pela veia, e sem sinais de infecção ou disfunções orgânicas» («Quadro clínico é estável», Metro São Paulo, 18.09.2018, p. 4).

      Jejum oral. Nunca tinha pensado nisto, mas faz sentido e é uma boa forma de o dizer. Imagino que até haja discussões sobre isto. «Ah, ele não está em jejum, ou já teria morrido.»

 

[Texto 9940]

Helder Guégués às 18:32 | comentar | favorito | partilhar
Etiquetas: ,