20
Mai 19

Quilograma e constante de Planck

Por um ponto

 

      Hoje, Dia Mundial da Metrologia, entra em vigor a nova forma de calcular o quilograma. No Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, está tudo pronto — tirando um erro menor, mas erro: em vez de vírgula, como deve ser, usam ponto: «FÍSICA unidade de medida de massa do Sistema Internacional, de símbolo kg, previamente definida como a massa do protótipo internacional do quilograma-padrão e actualmente definida de acordo com a constante de Planck (em que h equivale a 6.62607015x10-34 joules por segundo)». Num texto da apoio da Infopédia, contudo, está correcto: 6,626176x10-34 J.s.

 

[Texto 11 386]

Helder Guégués às 09:09 | comentar | favorito

Léxico: «extragaláctico»

O habitual

 

      «David Sobral é Astrofísico [sic] e Professor de Astrofísica Extra-galáctica na Universidade de Lancaster no Reino Unido. Doutorado pela Universidade de Edimburgo, tem realizado várias contribuições para o avanço do conhecimento sobre as galáxias e como estas se formam e evoluíram até aos dias de hoje («1919: quando um eclipse revelou o génio de Einstein», Rádio Renascença, 18.05.2019).

      É assim que se vê um pouco por todo o lado. Para ajudar à festa, o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora nem sequer o regista, embora o encontremos em quatro dicionários bilingues da Infopédia. Quanto aos jornalistas, não devemos esperar muito melhor do que isto, que é o habitual.

 

[Texto 11 385]

Helder Guégués às 08:43 | comentar | favorito
Etiquetas: ,
19
Mai 19

Léxico: «diaconisa»

Não só na Igreja primitiva

 

      «Diaconisas na Igreja católica? Por agora, o Papa considera que, como disse aos jornalistas no regresso da sua viagem pastoral à Macedónia do Norte, não há condições para admitir mulheres no diaconado. [...] São João Paulo II já tinha negado, definitivamente, a ordenação presbiteral e episcopal de mulheres. Restava apenas saber se seria possível que, na Igreja católica, pudessem receber o diaconado, que é o primeiro grau do sacramento da Ordem» («Diaconisas na Igreja Católica?», P. Gonçalo Portocarrero de Almada, Observador, 18.05.2019, 00h03).

      Ainda bem que é um padre a escrevê-lo, porque, para a Porto Editora, diaconisa é ainda e apenas na «(Igreja primitiva) mulher virgem ou viúva que, por encargo oficial, se dedicava a obras de assistência e de caridade». Em contrapartida, sabe que o subdiaconado já foi extinto (assim como as chamadas ordens menores, graças à reforma empreendida por São Paulo VI [1897-1978]).

 

[Texto 11 384]

Helder Guégués às 20:39 | comentar | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «microrreserva»

Só no Alentejo

 

      «É a mais ameaçada das 13 espécies de cigarras que existem em Portugal. A Euryphara contentei, que nem nome comum definido tem — há quem lhe chame só cigarrinha, e há quem diga cigarrinha-verde, mas este, sendo nome de outra espécie, facilmente gera equívocos ­—, resiste apenas em alguns locais exíguos da planície alentejana. Uma vala perdida à beira da estrada, entre Estremoz e Sousel, um olival perto de Beringel, na mesma zona, dois ou três pontos dispersos, e muito restritos, no concelho de Ferreira do Alentejo. E é tudo. A solução para travar esse caminho, que parece inexorável se nada for feito, já ele a sugeriu em 2014, num artigo que publicou em coautoria com a bióloga Ana Paula Simões. “A solução”, diz [o entomólogo] José Alberto Quartau, “é a criação de microrreservas nos poucos locais onde ela ainda existe, para sua proteção”» («Só existe em dois ou três sítios do Alentejo. É a cigarra mais ameaçada», Filomena Naves, Diário de Notícias, 19.05.2019, 6h20).

 

[Texto 11 383]

Helder Guégués às 19:33 | comentar | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «colarinho | subcolarinho»

A taça explicada

 

      «Mais acima, no colarinho, temos o espaço dedicado ao Campeão, e, no subcolarinho, temos os vencedores, os clubes que foram campeões: “estão todos aqui gravados”. Depois, “vemos uma bola... que representa o núcleo, é o que faz girar tudo, é o centro do planeta”. Em redor, temos os sete castelos, que representam as conquistas de Portugal. “Por fim, vemos a forma de uns braços. São a glória. Quando um atleta chega à meta, levanta os braços. No fundo, representam todo o esforço, todos os meses de trabalho, para chegar ao fim e atingir a glória”» [explica Domingos Guedes, da Domingos Guedes, Lda., com sede em Gondomar (São Cosme), empresa responsável pela manufacturação de todas as taças da Federação Portuguesa de Futebol e Liga de Clubes] («Dez quilos de ouro e prata. Os segredos da taça que este ano é do Benfica», Teófilo Fernando, TSF, 18.05.2019, 20h47).

 

[Texto 11 382]

Helder Guégués às 10:06 | comentar | favorito
Etiquetas: ,
18
Mai 19

Léxico: «huguenote»

Na sua maioria

 

      «Já por esses dias a catedral [de Notre-Dame] — um exemplo maior do gótico — fora alvo de primeiras ações de destruição quando, em 1548, huguenotes (protestantes franceses, na sua maioria calvinistas) danificaram ali algumas estátuas que viam como idólatras» («A história da resiliência de uma velha catedral», «Revista E»/Expresso, 19.04.2019, p. 18).

      É isso mesmo: «na sua maioria calvinistas». O Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora generaliza abusivamente ao afirmar que é o «nome dado na França aos sectários da doutrina de Calvino».

 

[Texto 11 381]

Helder Guégués às 22:13 | comentar | favorito

Léxico: «entreportas»

Portas adentro

 

      «No dia 25, o país verá os seus nomes inscritos entre os 2510 presos que a cadeia de Peniche guardou entreportas entre 1934 e 1974» («As mulheres de Peniche», Alexandra Carita, «Revista E»/Expresso, 19.04.2019, p. 37).

      É advérbio que, incompreensivelmente, já não encontramos em todos os dicionários. No Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, por exemplo, não está. E repare-se que não foi aqui usado em nenhum livro, mas numa mera reportagem.

 

[Texto 11 380]

Helder Guégués às 20:43 | comentar | favorito
Etiquetas: ,