16
Jan 19

Gidá, Arábia Saudita, tantos do tal

Não, só assim

 

      «Cristiano Ronaldo foi o autor do único golo que decidiu a Supertaça Italiana entre Juventus e AC Milan. A “Vecchia Signora” venceu por 1-0 e ergueu o primeiro troféu da temporada. [...] A partida foi disputada na Arábia Saudita, no Estádio Rei Abdullah, em Jidá, com cerca de 62 mil espectadores nas bancadas» («Juventus vence Supertaça Italiana com golo de Ronaldo», Eduardo Soares da Silva, Rádio Renascença, 16.01.2019, 19h28).

      O que o plumitivo renascentista não sabe é que não se deve escrever com jota, mas assim: «Gidá, top. Forma vernácula que pretere o estrangeirismo Djeddah», como nos diz Rebelo Gonçalves no Vocabulário da Língua Portuguesa (p. 497).

 

[Texto 10 600]

Helder Guégués às 23:08 | comentar | ver comentários (1) | favorito | partilhar
Etiquetas: ,
15
Dez 18

Médio-Oeste

É português

 

      «Como Kelly era dono de parte da terceira maior empresa de transportes do Médio-Oeste e Oeste, deve ter sido uma réstia de génio que me levou a tentar conquistar a filha naquele lugar» (Um Sonho Americano, Norman Mailer. Tradução de Eduardo Saló. Lisboa: Livros do Brasil, 1988, p. 7).

      Em quantas traduções não se optou por deixar no original, Midwest? Decerto, ainda há opções mais descabeladas.

 

            [Texto 10 460]

Helder Guégués às 16:02 | comentar | favorito | partilhar
Etiquetas: ,
30
Nov 18

Bacu

Muito bem

 

      «No Estádio Olímpico de Bacu, levou quatro minutos a marcar o primeiro e fez mais cinco nos restantes 86, construindo aquela que foi a maior goleada da época» («O Sporting de Keizer está a crescer depressa e bem», Marco Vaza, Público, 30.11.2018, p. 44).            

      É muito para espantar — e aplaudir, pois claro — que tenham decidido escrever assim este topónimo. Se estendessem a tudo o resto esta coerência, seria excelente.

 

            [Texto 10 383]

Helder Guégués às 19:35 | comentar | favorito | partilhar
26
Nov 18

Estreito é

Mas de quê?

 

      «Este domingo, três navios militares da Ucrânia atravessaram a fronteira nacional da Rússia, entraram nas águas territoriais russas, e deslocaram-se no mar Negro em direção ao estreito de Kerch, segundo a assessoria do Serviço Federal de Segurança russo» («Ucrânia convoca gabinete de guerra depois de incidente com a Rússia», Rádio Renascença, 25.11.2018, 20h07). Kerch? Ora, já foram mais portugueses: «“A NATO condena a construção e abertura parcial pela Rússia da ponte no Estreito de Querche que liga a Rússia à Crimeia”, sublinha Piers Cazalet [vice-porta-voz da Aliança Atlântica] no documento» («NATO condena nova ponte que liga a Rússia à Crimeia», Rádio Renascença, 16.05.2018).

 

[Texto 10 359]

Helder Guégués às 11:24 | comentar | favorito | partilhar
14
Nov 18

Argélia, Argélia, Argélia

Com resipiscência

 

      «Os portugueses estão no “top 5” dos povos com maior liberdade para voar no mundo. Segundo um novo relatório do Índice de Passaportes da Henley, publicado em outubro, Portugal partilha o quinto lugar da lista com os Estados Unidos, Reino Unido, Noruega Áustria, Luxemburgo e Holanda. [...] Entre os países que os portugueses ainda não podem visitar sem visto estão a Rússia, a China, a Índia, a Algéria ou a Líbia» («Portugal está no “top 5” dos passaportes mais poderosos do mundo», Rádio Renascença, 14.11.2018, 9h50).

      Não digas mais nada, Rádio Renascença: já percebemos que nunca tinhas reparado que em português se diz Argélia e não Algéria, como se diz argelino e não algeriano. Mais vale tarde, e com alguma resipiscência.

 

[Texto 10 287]

Helder Guégués às 11:12 | comentar | ver comentários (1) | favorito | partilhar
Etiquetas: ,
03
Nov 18

Porto Sudão

Excepto isso...

 

      Hoje, mal entrei na Bertrand do La Vie, na Guarda, o livro que me veio parar às mãos foi Porto-Sudão, de Olivier Rolin, publicado pelos Livros do Brasil. Antes de o folhear, a pergunta: porquê o hífen? Desde quando? Ora, não será porque em francês se diz Port-Soudan e os tradutores muitas vezes não conseguem descolar do original? Aliás, a capa apresenta logo outro erro: «Coleção Miniaturas». Ah, está bem, segue o Acordo Ortográfico de 1990...

 

[Texto 10 229]

Helder Guégués às 21:17 | comentar | favorito | partilhar
Etiquetas: ,
18
Out 18

Catânia

Pior do que nos jornais?

 

      «O flanco sudeste do monte Etna, o vulcão mais ativo da Europa, está a deslizar para o mar, diz um estudo publicado na semana passada na revista Science Advances. [...] O Etna situa-se na parte oriental da Sicília, entre as províncias de Messina e Catânia» («Monte Etna está a deslizar para o mar e pode causar tsunami no Mediterrâneo», Patrícia Jesus, Diário de Notícias, 17.10.2018, 10h21).

      Catânia. Parece-me bem. Ora, num texto de apoio da Infopédia sobre este vulcão, a opção foi outra: «Vulcão localizado na Sicília, Itália, perto de Catania, o Etna é um dos vulcões mais ativos do Mundo e o maior da Europa. Ergue-se a uma altitude de 3350 m e a sua base ronda os 2400 km.»

 

[Texto 10 137]

Helder Guégués às 08:44 | comentar | ver comentários (1) | favorito | partilhar