«Tivessem descobrido»

Com voz cava e soturna

 

      Disseram-me (obrigado a Rui Almeida por ter aceitado partilhar o que se passa nesse mundo) que José Riço Direitinho publicou esta tarde, na sua página do Facebook, esta nota: «A quem me fez o reparo, também em alguns comentários da página do Público, pelo facto de num dos textos sobre o livro do Knaugård [sic] eu ter usado a expressão “TIVESSEM DESCOBRIDO”, informo que não é gralha e que está correcto; é uma das duas formas do pretérito mais que perfeito composto (subjuntivo) do verbo descobrir.»

   Estamos bem servidos de zoilos, estamos. O que esta forma tem contra si é meramente ter caído em desuso, não é nenhum erro crasso. Corrijam Camilo (ou mordam aqui), se forem capazes: «Afinal, como se tivesse descobrido assunto de capital interesse, disse com voz cava e soturna:

     — O sr. de Beauchêne morreu!» (Obras de Camilo Castelo Branco, vols. 65-67, Camilo Castelo Branco. Lisboa: Parceria A. M. Pereira, 1970, p. 80).

 

[Texto 5393]

Helder Guégués às 19:10 | comentar | favorito | partilhar
Etiquetas: ,