Todo o boxe esquecido

Murros e erros

 

      «O ex-campeão francês de boxe Christophe Dettinger golpeou um polícia repetidamente durante vários metros e obrigou mais um par de agentes a recuar, junto ao rio Sena, em Paris, durante as manifestações dos coletes amarelos de sábado. [...] O suspeito mostra certa segurança e os golpes são precisos. Num outro vídeo, o ex-campeão francês de boxe pontapeia outro polícia no chão. Apesar de haver um mandato de captura, o homem de 37 anos ainda não foi preso» («Ex-campeão de boxe fez recuar polícias de Paris só com os punhos», Rádio Renascença, 6.01.2019, 21h38).

      Empolgado com a cena de pugilato, o jornalista lá se enganou: é mandado, não mandato. (Que polícia fracalhote! Como sempre, fracos com os fortes, fortes com os fracos.) E tu, Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, tens alguma coisa contra os termos do boxe, como meio-pesado, peso-galo, peso-leve, peso-médio, peso-médio-leve, peso-meio-pesado, peso-mosca, peso-pesado, peso-pluma ou peso-morto, da halterofilia? Vá, enriquece-te, ceva-te na minha abundância. (Sobrou-me este verso de um poema que escrevi ontem, uso-o aqui.)

 

[Texto 10 552]

Helder Guégués às 23:02 | comentar | favorito
Etiquetas: ,