Tradução: «barrel bomb»

Pouco para divergir

 

      «Só no último mês, a força aérea de Bashar al-Assad lançou 1592 ataques e matou pelo menos 396 pessoas, deixando outras 1500 feridas, diz o Observatório Sírios [sic] dos Direitos Humanos. Aviões e helicópteros lançaram as chamadas barrel bombs (barris de aço cheios de explosivos e de munições) nas regiões de Alepo, Hama, Deraa, Iblid, Quneitra e nos subúrbios rurais de Damasco» («Enquanto os EUA bombardeiam jihadistas, Assad aproveita para aumentar ataques», Sofia Lorena, Público, 20.11.2014, p. 21).

      É bom que a jornalista tenha deixado o nome em inglês, pois nunca se sabe se não precisamos, a qualquer momento, de encomendar à Amazon. Na RTP, já resolveram – e não há margem para grandes divergências, excepto avaliar se o segundo termo é determinante específico – o caso: são «barris-bomba».

 

[Texto 5277]

Helder Guégués às 12:54 | comentar | favorito
Etiquetas: ,