Tradução: «brunch»

Problema deles

 

 

      «A outra coisa que tinham em comum era que todos pertenciam à Catequese do Póquer da Igreja Católica Romana de Teerão, que funcionava durante o brunch de domingo» (O Voo das Águias, Ken Follett. Tradução de Isabel Nunes e Helena Sobral. Queluz de Baixo: Editorial Presença, 2013, 3.ª ed., p. 151).

     Intraduzível também, c’um caraças? Não são poucos os tradutores que vertem para «pequeno-almoço tardio». Eles e eu não desconhecemos que também há late breakfast. Quem souber fazer melhor, fale agora ou cale-se para sempre.

 

[Texto 3949]

Helder Guégués às 08:37 | favorito
Etiquetas: