Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Linguagista

Tradução: «conservatory»

São feitios

 

      «De três em três meses, volta a ideia do conservatory. Fazemos planos, estudamos materiais. A Catarina fala com o pai, que é arquitecto. Consultamos o Chico e o José Domingos, ponderamos visitar os Ormondes e a Construtora. […] Certos dias é um jardim de Inverno e outros quase uma estufa. Na maior parte das vezes é um conservatory tradicional, à inglesa. […] Em duas semanas, passa. Eu penso no novo livro, a Catarina faz contas aos prazos das traduções. Três meses depois, estamos de novo naquilo – materiais e técnicas, estilos e consultas. Orçamentos. Um dia vamos fazer aquele conservatory. Talvez mesmo encontrar uma palavra portuguesa para o nomear convenientemente – ademais numa casa em que o único que não vive das palavras é o cão (e mesmo assim)» («Obras», Joel Neto, Diário de Notícias, 5.08.2015, p. 25).

      São feitios: eu começaria sempre por encontrar a palavra e só depois me lançaria à obra. O cão não pode colaborar, mas todos aqui faremos o que pudermos. Eu voto por jardim-de-inverno (prefiro com hífenes, como os meus leitores sabem vai para seis anos).

 

[Texto 6136]

Comentar:

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.