Tradução: «detective constable»

Mesmo que se perca em precisão

 

 

       «Ele sentou-se, pediu se podia despir o casaco — um calor sufocante lá fora — e disse que era detective da polícia, “Detective Constable” Frobisher, um nome que achei tranquilizador, por alguma razão perversa, pensei, enquanto DC Frobisher pendurava cautelosamente o casaco sobre o braço de uma cadeira e se sentava de novo» (Inquietude, William Boyd. Tradução de Inês Castro. Cruz Quebrada: Casa das Letras, 2008, 2.ª ed., p. 194).

      Isto não pode ser assim: tem de ter alguma correspondência, próxima ou remota, com uma realidade nossa. Em Portugal também há detectives. Claro que a tradutora deu ali uma voltinha à frase, que no original é «and said his name was Detective Constable Frobisher», mas não é suficiente. Ou inspector ou inspector-chefe, ou seja o que for, alguma tem de corresponder, e é essa que se usa.

 

 [Texto 4053] 

Helder Guégués às 11:10 | favorito
Etiquetas: