Tradução: «en ciernes»

Não podíamos

 

 

   «La tramitación del proyecto de ley por el que se concederá la nacionalidad a los sefardíes avanza sin que ni el Gobierno ni las comunidades judías sean capaces de vislumbrar la magnitud de la reparación histórica en ciernes» («Nadie sabe cuántos volverán a Sefarad», Ana Carbajosa, El País, 23.06.2014, p. 16).

    Se nem no dicionário da Real Academia Espanhola encontramos a expressão, não podíamos esperar encontrá-la no Dicionário de Espanhol-Português da Porto Editora. Significa algo como «apenas no início». A jornalista refere depois, como seria inevitável, o haketia e o ladino, a língua falada pelos judeus da Península Ibérica, acepção que o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora esquece, pois só dá como sinónimos de «ladino» rético e romanço. O haketia ou haquetia é o dialecto (ágrafo, como o ladino) dos judeus espanhóis de Marrocos.

 

[Texto 4758]

Helder Guégués às 20:00 | comentar | favorito
Etiquetas: