Tradução: «fatality»

Ou faço um desenho?

 

      Houve um acidente ferroviário em Angola. Vai daí: «A Agência de Notícia de Angola, a oficial do Estado angolano, fala em 17 mortos mas a empresa de Caminhos de Ferro de Moçamedes (CFM) só confirma seis fatalidades. Há um número de feridos por determinar, em resultado da colisão entre dois comboios, na província angolana do Namibe, sul do país» («Pelo menos 17 mortos em colisão entre dois comboios em Angola», TSF/Lusa, 4.09.2018, 15h15).

      Eles dizem que sabem — mas nós sabemos bem que não. Senhores jornalistas, em inglês, fatality, além de «helplessness in the face of fate», a nossa fatalidade, o acontecimento que não se pode evitar, adiar ou alterar, também é o que a nossa fatalidade nunca foi — «an occurrence of death by accident, in war, or from disease», ou seja, a morte resultante de um acidente, de uma catástrofe, de uma guerra, etc. (Escreve-se, porque já vi que também não sabem, Moçâmedes.)

 

[Texto 9861]

Helder Guégués às 08:23 | comentar | favorito | partilhar
Etiquetas: ,