Tradução: «fullonica»

Da ars fullonica ao jornalismo

 

      «Na Fullonica di Stephanus (que poderíamos traduzir por Lavandaria Stefano) há até uma área para armazenar a urina que era recolhida nas casas de banho públicas e usada para tirar nódoas difíceis (depois de fermentada, produz amoníaco, substância que consta ainda hoje de vários produtos de limpeza)» («A lavandaria de Pompeia já reabriu mas só para visitas», Lucinda Canelas, Público, 29.12.2015, p. 30).

     Quando se trata de traduções, tenho sempre, e cada vez mais, dúvidas, muitas dúvidas. São publicados em França os melhores dicionários de latim e o que vejo neles é que fullonica é traduzido por fouloir, pisão, calandra. Como na Fullonica Stephani se encontraram «vestígios da zona onde se passava a ferro com uma prensa», dir-se-ia que aquela calandra servia para este fim. Mas não me parece, pois os dicionários de latim-inglês a fullonica fazem corresponder fullery, oficina de pisoagem. Pisoar é bater tecido, pano, com pisão para o encorpar e dar resistência. Logo, a Fullonica Stephani pode traduzir-se por Pisoaria do Estêvão. E pisoaria é outra palavra que os dicionários nos roubaram. E tissoaria. Subsistem em topónimos. O que acontece é que, Lucinda Canelas, meus senhores e minhas senhoras, as fullonicae proporcionavam dois serviços: acabamento de tecidos novos e limpeza de tecidos, roupa.

 

[Texto 6513] 

Helder Guégués às 13:07 | comentar | favorito
Etiquetas: ,