Tradução: «imposte»

Porque são semelhantes

 

      «As portas estão ao mesmo tempo abertas e fechadas, as impostas desgastadas, arrancadas, destruídas ou pintadas de novo» (A Ordem do Dia, Éric Vuillard. Tradução de João Carlos Alvim e revisão de Clara Joana Vitorino. Alfragide: Publicações Dom Quixote, 2018, p. 14).

      No original está impostes, sim, mas não me parece que se possa traduzir por «imposta», tendo em conta o contexto. É que, se se tratasse do elemento arquitectónico, não seriam arrancadas e destruídas sem mais. («Les portes sont en même temps ouvertes et fermées, les impostes usées, arrachées, détruites ou repeintes.») O que acontece é que em francês imposte é, não apenas o elemento sobre o qual assenta um arco, a nossa imposta, mas também a parte superior de porta ou janela, independente destas, e que pode ser fixa ou móvel, a nossa bandeira. Picuinhices? Não, e dá-se até o caso de o termo «bandeira» ser muito mais conhecido.

 

[Texto 9034]

Helder Guégués às 12:18 | comentar | favorito | partilhar
Etiquetas: ,