Tradução: «leading man»

Isto é imparável

 

 

  «O seu corpanzil exuberante, a sua fisionomia angustiada, não o talhavam para estrela de cinema, nem para leading man, coisa cada vez mais reservada para portadores de uma elegância física que não era a de Seymour Hoffman. E se nos anos 1990 o vimos sobretudo em papéis secundários, o talento e a intensidade que aplicava neles, muitas vezes “roubando” as cenas de maneira inesquecível, deram-lhe a pouco e pouco o direito a chegar à primeira linha, algo consumado ao longo desta primeira década e meia do século XXI, que foi o seu tempo e agora se percebe, com imensa pena, que acabou» («Philip Seymour Hoffman encontrado morto na sua casa de Nova Iorque», Joana Amaral Cardoso e Luís Miguel Oliveira, Público, 3.02.2014, p. 27).

      Ou seja, no teatro e no cinema, o protagonista (masculino, neste caso). E para dizerem isto Joana Amaral Cardoso e Luís Miguel Oliveira não se envergonham de recorrer a uma expressão inglesa.

 

[Texto 3971] 

Helder Guégués às 20:08 | favorito
Etiquetas: