Tradução: «reducción»

Só se for para despachar

 

    Foram encontrados em Madrid, na igreja do Convento das Trinitárias Descalças, restos mortais que podem ser de Cervantes. No Telejornal, mostraram um excerto de uma conferência de imprensa em que falava a arqueóloga responsável, Almudena García Rubio: «Face a toda a informação obtida, de caráter histórico, arqueológico e antropológico, pode considerar-se que entre os fragmentos deste achado, há alguns que pertencem a Miguel de Cervantes» (Mário Rui Cardoso, Telejornal, 17.03.2015). Isto é o que estava nas legendas, porque — como sempre — o que ouvi é um pouco diferente: «À la vista de toda la información generada de carácter histórico, arqueológico y antropológico, es posible considerar que entre los fragmentos de esa reducción se encuentren algunos pertenecientes a Miguel de Cervantes.»

    Traduzir reducción por «achado» é uma forma, supostamente expedita, mas claramente grosseira e imprecisa, de resolver a questão. Os regulamentos dos nossos cemitérios municipais nada dizem sobre isto, mas queiram ler este documento (pp. 139-42), sobre o processo de redução de restos mortais.

 

[Texto 5665]

Helder Guégués às 08:09 | comentar | favorito
Etiquetas: ,