«Trolha/colher de pedreiro»

Ninguém

 

      «Lembro-me de perguntar ao meu tio António: “O que é um trolha?” Andava ainda na escola primária e estávamos ambos na Sociedade Nacional de Belas Artes [sic], perto da minha casa, a admirar um quadro ainda por acabar. Lembro-me de o tio António me dizer: “Fixa este nome, Júlio Pomar, que é o de um grande pintor”. E ali ficámos quedos, durante longos minutos, com o meu tio a explicar-me o uso das cores e a violência da geometria naquele retrato da sagrada família de um pedreiro. Trolha, a pá metálica de forma triangular e cabo de madeira, que serve para aplicar, espalhar e alisar o cimento. Uma palavra agressiva para uma tarefa de conciliação material. O apetrecho dera, afinal, o nome ao trabalhador, mas o artista pusera o acento nos pés e nas mãos» («Pomar», Jorge Calado, Expresso, 2.06.2018).

      Posso estar enganado, mas essa «pá metálica de forma triangular e cabo de madeira, que serve para aplicar, espalhar e alisar o cimento» sempre eu a conheci como colher de pedreiro. O Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora limita-se a dizer que colher também é o «utensílio utilizado pelos pedreiros ou trolhas», o que, sem o descrever, não serve para muito e, no caso, não serve mesmo para nada. A «pequena tábua, com uma pegadeira na parte inferior, onde o operário traz a argamassa que vai aplicando», para usar de novo uma definição do dicionário da Porto Editora, é que tem, para mim e para aquele dicionário, o nome de trolha. Mais facilmente confundiria uma trolha com uma talocha. Seja como for, não há ninguém à face da Terra, por muito inteligente, culto, informado, cuidadoso que seja, que possa prescindir de revisão. Ninguém. Bem vejo que por essa Internet fora não falta quem diga que aquela «pá metálica de forma triangular e cabo de madeira, que serve para aplicar, espalhar e alisar o cimento» tem o nome de trolha, mas falar de outiva é a especialidade de muita gente.

 

[Texto 9343]

Helder Guégués às 20:41 | comentar | favorito
Etiquetas: ,