Tu cá, tu lá

A familiaridade abusiva

 

      Entramos na página da Internet da Ramirez e, solícitos, dizem-nos logo num português dúbio: «Olá! Estamos aqui para ajudar a responder às tuas perguntas.» E tratam-nos logo por tu. Seguem as tendências actuais, agora parece tudo mal traduzido do inglês. Já hoje vi isso num texto que aqui citei da RR, sobre Jimmy Carter. Eis o trecho: «Mas Carter também é muito rápido a sublinhar que nada tem contra quem o faça e não critica antecessores ou sucessores por o terem feito. É perfeitamente legal. Não há nada de errado nisso. Se alguém te quer pagar milhões de dólares para que faças um discurso não há nada de errado» («“Jimmy Carter prova que a decência conta”», José Bastos, Rádio Renascença, 30.03.2019, 8h43). José Bastos, isso em português não é assim. É uma chatice ter de explicar tudo, mas cá vai: «Se alguém nos quer pagar milhões de dólares para que façamos um discurso, não há nada de errado.» Portanto, ó Ramirez, desampara-me a loja, vai dar banho ao cão.

 

[Texto 11 079]

Helder Guégués às 20:57 | favorito