Um Nobel, dois Nobéis

Andam aos papéis

 

      Titula, a propósito da bielorussa Svetlana Alexievich, a rapaziada da revista Sábado: «As surpresas dos Nobel» (n.º 598, p. 18). Mas não. «Aureliano Viegas é um nome muito digno das Letras Portuguesas, nem todos podem ser Nobéis, com os partidos comunistas de vários pontos do mundo a puxar para o mesmo lado […]» (Desaparecido no Salon du Livre, Júlio Conrado. Lisboa: Bertrand Editora, 2001, p. 17).

    Nobel: oxítona, como «papel» e «Famel». Ganhou dois Prémios Nobel. São dois Nobéis conceituados.

 

[Texto 6324]

Helder Guégués às 21:50 | favorito
Etiquetas: ,