Uma confusão eterna: «passo/paço»

Começa mal o dia

 

      Depois de uma noite tempestuosa, acordamos e temos logo, a cada passo, erros à nossa espera. «Este sábado, aos 82 anos, depois de vários dias internado, morreu em Lisboa o general José Loureiro dos Santos. O seu corpo vai esta tarde para a capela da Academia Militar, no Passo da Rainha, e o funeral decorre na manhã desta segunda-feira para o cemitério de Carnaxide» («José Loureiro dos Santos. A vida de luta de um reformador», Nuno Ribeiro, Público, 18.11.2018, 7h12).

      É impressionante! Um jornalista cair num erro elementar como este... Então não é Paço da Rainha, Nuno Ribeiro? Paço, forma reduzida de «palácio», casa nobre onde el-rei habita. No caso, a rainha era D. Catarina de Bragança, que, depois de enviuvar de Carlos II de Inglaterra, regressa a Portugal e estabelece, no Palácio da Bemposta, a sua casa. Paço do Lumiar, Paço d’Arcos...

 

[Texto 10 303]

 

Helder Guégués às 09:56 | comentar | favorito
Etiquetas: ,