Uma estranha bicicleta

E por isso, «bicleta»

 

      «Juntamente com a Flâneur criaram uma bicleta [sic] urbana, feita à mão com fibra de carbono, com freios hidráulicos, assento de couro e com rack de suporte, estrutura para absorver impacto e opção de oito ou onze marchas» («Moda das duas rodas está a atrair marcas de luxo», Ana Lúcia Sousa, Diário de Notícias, 23.12.2014, p. 40).

      Nunca ouvi ninguém chamar «marchas» às mudanças das bicicletas. (Sim, nem «freios» às mudanças, e poucas vezes «assento» ao selim.) Agora reparem como também os dicionários falham. No Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, na 6.ª acepção de «mudança» lê-se isto: «(veículo automóvel) engrenagem que permite a alteração de marcha e velocidade».

 

[Texto 5396]

Helder Guégués às 11:09 | comentar | favorito | partilhar
Etiquetas: